SERIAL KILLER - Richard Ramirez
SERIAL KILLER - Richard Ramirez




HISTÓRIA
Nascido no Texas, no último dia de fevereiro de um ano bissexto, era o caçula de 5 irmãos. Era quieto; seus pais, pobres trabalhadores, imigrantes vindos do México.

O pai às vezes batia nos filhos, especialmente porque cometiam pequenos delitos.
Richard tinha medo dele e àsvezes ficava fora de casa, ia passear no cemitério, ocasionalmente passava a noite lá.
Mas também é dito que, apesar disto, era uma família relativamente unida, e Ramirez era amado. A mãe era católica e tentava educar os filhos nesta religião.
Ainda criança, começou a ter crises convulsivas, mas que cessaram posteriormente. Por uma época, teve bom desempenho escolar.
Depois, passou a não ir muito à escola - preferia jogar em fliperamas.
O INÍCIO DE TUDO
Iniciou cedo o uso de maconha e os furtos, sendo capturado algumas vezes.
Tinha um primo, "Mike" (Miguel Valles), quevoltou da Guerra do Vietnã, e mostrava-lhe fotos dele torturando inimigos, ou de mulheres que estuprou, ou mesmo de pessoas que matou, dizendo que isso o fazia como um Deus.

Mike também o ensinava a caçar. Um dia, Richard tinha 13 anos, a esposa deste primo começou a reclamar dele, Mike, que ele deveria arrumar umemprego etc. Mike pegou sua arma e deu um tiro nela, no rosto, e ela morreu. Richard disse, depois, ter provado o sangue dela, e que sentiu uma conexão quase mística com esse crime. (Mike teria se matado algum tempo depois.)
Sua mãe o colocou no catecismo. Depois das aulas, ia pesquisar sobre o Diabo. Desenhava o pentagrama no corpo.
Aos 18 anos, Ramirez foi para a Califórnia, com seus dentes podres - diz-se que deixou apodrecerem por provocação.
Lá, começou a roubar coisas maiores, foi preso duas vezes por roubo de carros, outras por posse de maconha. Também usava cocaína e bebia com freqüência.
O álbum "Highway to Hell", da banda de rock australiana AC/DC, era o seu favorito. A música "Night Prowler" fala de um invasor noturno, que fica na sombra.

DETALHES DOS CRIMES (cronologicamente)

Durante o verão de 1984, uma mulher de 79 anos foi esfaqueada até a morte depois a sua garganta foi açoitada. Isso aconteceu em sua própria casa. Em seguida, uma menina de seis anos de idade foi seqüestrada na parada do ônibus. Ela foi abusada sexualmente e jogada viva em uma área deserta. Duas semanas após, uma menina de 9 anos de idade foi tirada de seu quarto, estuprada e jogada fora.
A próxima vítima, uma senhora que chegava emcasa levou tiros mas não foi morta. Provavelmente a única razão por ela ter sobrevivido foi por ela ter se fingido de morta. No entanto, o atirador entrou na casa da vítima e atirou na cabeça de sua "roommate" de 34 anos. E por aí continuaram os crimes com nenhuma rima aparente nem razão ou conjunto de padrões. Uma coisa ficava clara no entanto, que o assassino ficava cada vez mais sádico.
Por exemplo, algumas vítimas mais tarde, o assassino cortou o corpo de uma mulher de 44 anos e cortou os seus olhos enquanto ainda estava viva. Como eu havia mencionado anteriormente algumas das
vítimas eram deixadas vivas. Poucas eram capazes de descrever o assassino. Elas descreviam um homem alto, magro e com um péssimo hálito. Uma vez que as três vítimas descreveram um mesmo homem, foi finalmente descoberto que havia um "serial killer" à solta.

RETRATO FALADO
Um homem, dono de hotel, foi à polícia dizendo que conhecia alguém que correspondia às descrições. No último quarto que ele ficou, um pentagrama desenhado.

Ele continuava a agir. Em um ataque, em 24 de agosto, estuprou duas vezes a mulher, e ordenou que ela jurasse que amava Satã, várias vezes. Depois, ainda a forçou a fazer sexo oral nele, coisa que ele vinha repetindo nos últimos ataques. Foi embora e não atirou nela, ao contrário do que fez com seu noivo. A placa do carro em que ele fugiu foi anotada.
A polícia descobriu ser roubado, e o localizou e passou a vigiar. Mas o assassino não voltou a utilizá-lo. Mas uma boa impressão digital foi encontrada no carro. Descobriu-se que pertencia a Ricardo "Richard" Ramirez. Sua foto foi publicada em jornais.
De partes das descrições que as testemunhas conseguiram fornecer, a identidade do "Night Stalker" foi descoberta. A sua foto foi posta em todos os lugares. Dizia-se que em uma loja de conveniência, uma senhora avistou Ramirez e disse alto o bastante que ele era o assassino. Ramirez fugiu à pé com um bando de pessoas tentando pegá-lo.
Ele tentou roubar um carro, mas o marido da mulher que dirija o carro o acertou com um cano. Eventualmente a polícia acabou protegendo Ramirez das pessoas que queriam linchá-lo pela morte de 13 pessoas, 5 tentativas de homicídio, 6 estupros, 3 atos obscenos com crianças, 2 seqüestros, 3 atos de copulação oral forçada, 4 atos de sexo anal forçado com homens, 5 assaltos à mão armada e 14 roubos.

IDENTIFICAÇÃO CRIMINAL
Foi acusado, inicialmente, de 15 mortes. Além de tantos outros crimes.
Muitos advogados públicos recusaram o caso. Sua família contratou dois para o defender. Logo no começo da preparação para o julgamento, em 87, ele levanta sua mão em uma audiência e solta um "Hail, Satã!"

SAUDANDO SATÃ
Muitas mulheres compareciam e queriam vê-lo, achando-o bonito. Muitas outras diziam acreditar na sua inocência.

Os advogados faziam inúmeras manobras legais para adiar o julgamento.
Enquanto isso, Ramirez ficava tamborilando na mesa e balançando a cabeça, como se ouvisse seus rocks, ainda preferindo vestir-se de preto.
O juiz resolveu finalmente começar, em julho de 88, apesar dos apelos dos advogados.
A previsão era de que o julgamento pudesse durar mais de um ano! Para achar 12 jurados aptos a isto, centenas de pessoas tiveram que ser entrevistadas, e isto levou mais um bom tempo.
Enquanto isto, Ramirez passou a usar óculos escuros. Seu cabelo estava maior.

ALGEMADO, MAS AINDA SAUDANDO SATÃ
1989. Janeiro. Finalmente a acusação começa. Isso dura meses. Descobre-se que Ramirez, na época dos crimes, talvez estivesse tentando ficar mais bonito: esteve fazendo tratamento dentário. Garotas de preto apareciam todos os dias na corte.

Os jurados levaram dois meses deliberando. Neste tempo, uma foi assassinada - pelo namorado, que suicidou em seguida. Quando foi anunciar-se a decisão, Ramirez saiu de sua cela, fez o tradicional gesto com os dedos indicador e mínimo e disse: "Mal!".
E disse não ter medo da morte. "Estarei no Inferno. Com Satã!". E, realmente, a pena foi esta, anunciada em novembro (19 condenações à morte, na realidade).
Disse à corte: "Vocês não me entendem. E não espero que entendam. Vocês não são capazes disto. Estou além das experiências de vocês.
Estou além do bem e do mal." Legions of the night, night breed, repeat not the errors of night prowler and show no mercy. I will be avenged. Lucifer dwells within us all." E disse aos repórteres: "Encontro vocês na Disneylândia!"
Ao chegar na prisão de San Quentin, perguntou onde estavam as mulheres. Avistou uma, fez o sinal com a mão. Ela o chamou de assassino. Ele sorriu...

NA PRISÃO
Todos esses crimes cometidos de Junho de 1984 à Agosto de 1985. Ele foi condenado à câmara de gás em 1989...e continua aguardando a sua morte.
Uma editora de uma revista, Doreen Lioy, começou a trocar cartas com ele, e em 1996 casaram-se. Ela afirma que ele é uma pessoa encantadora, maravilhosa, e diz que irá suicidar-se quando ele for executado.
Ramirez concedeu entrevistas, e mais de 100 horas delas, concedidas a Philip Carlo, deram origem a um livro sobre ele, "The Night Stalker". O assassino afirmou: "Nós todos temos em nossas mãos o poder para matar, mas a maioria das pessoas têm medo de usá-lo. Os que não têm, controlam a vida."

Nenhum comentário:

Postar um comentário